sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Terrorhertz - Contos Macabros # 02 - O Tumor

Olá mortais, como vão vocês?
Tio Lucy mais uma vez aqui nessa budega horripilante,  trazendo para vocês mais uma edição dos contos macabros da frequência do medo.





No conto de hoje, escrito pela nossa budegueira Medora, recomendamos estar de estomago vazio, não estar comendo algo enquanto ouve, e ter um estomago de ferro... pois vai precisar.

Então acomode-se em sua cadeira, coloque seus fones e deixe o terror tomar conta de seus ouvidos.






Download Aqui.

4 comentários:

  1. Voltando pra finalmente dar meu feedback. Antes de mais nada: que tumbnail sacana hahaha. Sério, isso é apelação demais! E essa abertura? Desde a época do planejamento eu piro nessa música, mas isso é assunto pra outra hora.

    Uma coisa interessante da TH é em relação a variedade dos contos. Estou muito ansioso por mais programas, com contos ainda mais diversificados e surpreendentes como esse. Será que vai rolar algo mais voltado pro thriller, como um certo conto sobre gatos, vovós com dedos finos que contam histórias sombrias (...). Espero que não siga apenas para o lado gore, mas explore vários subgêneros do terror.

    Sobre o conto ***CONTÉM SPOILERS***:

    Geralmente aguento coisas gore numa boa. Acho que certos contos que são voltados mais para o psicológico me afetam de forma mais drástica, mas quando ouvi esse episódio... na hora do almoço... deixei o prato de lado porque não deu. Estranhei o fato de estar quasse morrendo enquanto ouvia o episódio. Obrigado por fazerem eu perder a fome. E isso é algo bom hahaha. Do ponto de vista "bizarro" pelo menos.

    A forma como ele foi escrito, a descrição (nojenta) da "coisa" foi muito boa. Só de lembrar já dá um nó na garganta.

    Uma coisa que me fez gostar da história (apesar do gore) foram justamente as descrições. O final tem toda uma relação com o início da história e isso é foi algo muito bem planejado. Não deu aquela sensação de eventos "convenientes", onde algo acontece totalmente de repente sem explicação (Deux Ex Machina). O caótico cômodo parecia ser apenas parte do cenário e eu não poderia imaginar que tudo isso poderia ter um papel tão fundamental na trama.

    Agora tenho que ser um pouco chato e apontar algumas coisas que eu não curti tanto. Quero deixar bem claro que: vou usar críticas construtivas, espero que possa ajudar em alguma coisa:

    O nome do protagonista. ENTENDO que seria um pouco estranho colocar algo como João da Silva (sendo o mais clichê possível, mas tudo bem), ou algum nome muito comum, mas acho que isso é importante. Em uma conversa com um amigo que trabalha para editoras, ele disse que "uma editora aqui do Brasil não gosta de livros americanizados por isso, o cara nunca foi pro lugar q ele descreve e acha q a historia vai ficar boa. Brasil é um país onde a cultura do resto do mundo se mistura. Você só precisa criar uma história do porque de cada nome e pronto". Levarei isso pro resto da vida.

    Entendo que algumas histórias realmente ficam mais interessantes com personagens que tenham um nome diferentão, eu por exemplo tenho uma lista enorme com nomes estranho de personagens que pretendo usar em algum momento, mas a maioria deles são pra histórias mais voltadas a histórias mais diferentonas mesmo, fantasia e coisas do tipo. Mas se usarmos a suspensão da descrença: em momento algum ficou explícito o local onde a história se passava (...).

    E tem a questão do gore, MAS isso é um gosto totalmente pessoal. Não sou o maior entusiasta desse tipo de coisa, mas de vez em quando dou uma chance pra algumas obras nesse estilo. Sou adepto do "menos é mais", portanto acho que seria bacana dar uma freada nesse recurso. Mas como a intenção era mesmo chocar, parabéns: vocês conseguiram haha.

    Folks, é isso. Aguardo ansioso pelos próximos episódios e parabéns pelo excelente trabalho. A narração do Lucy é incrível! Vou deixar duas dicas:

    1 - Não usem imagens tão fortes assim haha. É um choque muito grande e parafraseando o Coringa: "nunca comece pela cabeça, a vítima fica tonta".

    2 - Costumo escrever ouvindo a trilha sonora do game Obscure II, algumas do Atrium Carceri e o disco NEOTOKYO do Ed Harrison.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Bacana! Daria uma adaptação legal para filmes. Fiz uma do Saci :https://www.youtube.com/watch?v=zD3OOPJyDoA Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba Sander, que fantástico este vídeo, o pessoal da Budega adorou seu trabalho, parabéns!
      Obrigado pelo seu comentário, e continue a fazer mais vídeos assim, vamos adorar divulgar esta criação fantástica.

      Excluir
  3. Arrepiante!!!.....

    Muito legal mesmo Confrade!!!! Excelente trabalho!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...